Podcast II – Murder


Roteiro: Marcelo Júnior
Produção e narração: Marcelo Júnior
Introdução: Nícolas Pinheiro
Edição: Marcelo Júnior


Você também pode se tornar um patrono em padrim.com.br/misteriosliterarios e obter vantagens exclusivas como receber links de episódios antes do lançamento, ter acesso a ficha técnica durante a produção dos episódios dentre muitas outras vantagens, comece agora e faça parte desta história.


Roteiro:

Década de 80. Duas enfermeiras ficam ao lado de uma mulher idosa suplicando por sua vida. Ao invés de ajudá-la, elas zombam dela. “Você vai tomar e gostar”, uma delas diz. Finalmente, cansadas da senhora gemendo, uma das enfermeiras pega uma arma e atira na cabeça da paciente, fazendo um estrondo por toda a sala.

Estas duas assassinas são Graham e Wood, que abriram uma casa de cuidados a idosos em Roanoke durante os anos 80 para alimentar seus tenebrosos instintos assassinos. Elas escolhiam suas vítimas pelas iniciais de seus numes, que depois elas usavam para soletrar sua palavra favorita em tinta vermelha, ou como dizem alguns estudos, com sangue na parede: “MURDER”, cuja a tradução é: ASSASSINATO.

De acordo com um depoimento publicado no The New York Times em 1989, a enfermeira domiciliar de 26 anos chamada Gwendolyn Graham foi condenada por “cinco acusações de assassinato e um de conspiração para matar pacientes gravemente incapacitados”. Sua amante e ex-colega de trabalho, Catherine Wood, que aparentemente agia como vigia e mais tarde testemunhou contra Graham, foi sentenciada de 20 a 40 anos de prisão. Em 1987, as duas foram responsáveis pelas mortes de 8 pacientes residentes do lar de idosos Alpine Manor em Walker.

Wood disse ao juiz que os assassinatos eram parte de um pacto para “selar seu amor”. Graham teria dito a ela que matar essas pessoas a ajudou a “aliviar a tensão”.

Mas aqui é onde as coisas ficam realmente assustadoras: relatórios da época sugeriam que as “Amantes Letais”, como passaram a ser chamadas, podem ter escolhido suas vítimas com base em suas iniciais, que elas usaram para soletrar a palavra “murder” (assassinato).

Hoje, depois de todos os ocorridos ainda se escuta falar das enfermeiras assassinas, ambas ganharam fama por todos seus crimes cometidos e estão presentes em diversos filmes e séries que tem como temática base o terror.

O romance policial baseado em fatos reais de 1992, “Forever and Five Days”, de Lowell Cauffiel, foi baseado em sua história. Graham e Wood também apareceram em dois episódios de uma série de TV chamada ‘The Serial Killers‘, em que contam os detalhes de seus crimes. E atualmente na sexta temporada de American Horror Story

De acordo com o International Business Times, Graham está atualmente servindo sua sentença de prisão perpétua em Huron Valley Correctional. Wood está elegível para a condicional desde 2005.

COMPARTILHAR