Um novo post poesia no Mistérios Literários, desta vez trazendo os escritores e poetas  Kenny Teschiedel, Gilson Tadeu Galhardi & Milena Barone.

 

” A Consciência Humana é este morcego!

Por mais que a gente faça, à noite, ele entra

Imperceptivelmente em nosso quarto! “

 (Augusto dos Anjos)


Kenny Teschiedel

1

Não sabia,
mas louco era ele,
que buscava os porquês
de gente doida.

Gente doida
não tem porquê
gente doida é.

2 – Apatia

É como o caso
das borboletas no
estômago:
se não despertar
nenhuma poesia,
não vale a pena.

3

Desisti de escrever
grandes histórias
quando percebi
que na verdade
somos o apanhado
de curtas-metragens.


Gilson Tadeu Galhardi

1 – Despir

Dispo-me hoje de minhas mazelas

Dispondo de todos os maus desejos

Meu ego déspota se fez em quirelas

No despertar de sonhos andejos

Despindo-me hoje de meu antigo eu

Despeço-me de todos meus pecados

Que dispersaram sonhos inacabados

Despertando o mal que em si nasceu

Também me despirei de minhas dúvidas

Que despertaram em mim a inação

Dispersando em meu torno a inanição

Dispondo a morte em todas as vidas

Tenho que me despir de minhas ambições

Para despedaçar essas tolas ilusões

Que disparam dores em meu coração

E assim despedir-me-ei desta solidão

2 – Sereno Silêncio

Deixei minhas memórias congelarem

Como poemas numa longa noite fria

Onde as estrelas não mais aquecem

E a lua já não mais serve como guia

Frases macias de anseios inexprimíveis

De todo afundadas em sereno silêncio

Esperando pela luz para serem visíveis

Desejando liberdade no escuro preênsil

No sereno silêncio tudo pode acontecer

Enquanto carregarem o anseio pela luz

Podendo ainda um futuro vir a conhecer

É metamorfose que a esperança conduz

No silêncio olhando as estrelas seguirei

Sem me preocupar em ter a lua como guia

Congelando poemas nessa longa noite fria

Esperando reencontrar a luz que desejei


Milena Barone

1

Cidade Nessa cidade as ruas são escuras medonhas e silenciosas São muitos caminhos mas todos eles levam pessoas para lugar nenhum Nessa cidade tudo é de papel até mesmo as pessoas que com os seus sentimentos de papel dizem amar coisas que esquecem no dia seguinte Nessa cidade o dinheiro reina e quem tem o poder é a violência Não existe vida nessa cidade mas e se a sociedade tivesse mais sensibilidade?

 

*Os textos estão sob diretos autorais. O Mistérios Literários possui autorização explícita para esta postagem.*

COMPARTILHAR