Resenha – Cidades de Papel – John Green

Descrição do livro:

Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita.
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.
Resenha:
Cidades de Papel é um livro lindo, (diferentemente do filme que falta inúmeras partes). O livro fala sobre Quentin, um garoto calmo e caseiro e a fabulosa M
argo, uma garota inteligente, bonita e popular. O livro tem aproximadamente 361 páginas e é de leitura bem agradável. Uma ótima história com muitas metáforas de perder o fôlego. Amei o livro até pelas aventuras simples do “casal”.
A única coisa que não gostei muito é o final, que além de não ser surpreendente… Digamos que poderia ser melhor. Vou parar de falar aqui para não acabar dando spoiler.
Sair de carro pela cidade inconsequentemente fazendo o que se quer fazer parece ser muito divertido né? E realmente deve ser, só é uma pena que aqui no Brasil não tenhamos essa facilidade.

Cidades de Papel é um livro super simples e muito bom para aqueles que apreciam a temática aventura e gostam de uma história bem light. Dou 4 estrelas.

A BIBLIOTECA

Desbloqueie todo conteúdo exclusivo de altíssima qualidade para assinantes do Mistérios Literários.

Artigos Relacionados

Explore a Biblioteca